Imprimir
Artis [s2]

NÚMERO 4 - 2016, PP. 128

NÚMERO 4 - 2016, PP. 128



Capa:
Giovanni Paolo Pannini, Galeria imaginária de vistas da antiga Roma, 1758.

Tema:
Romantismo(s)


Índice

 
Jorge de Novaes BASTOS
Uma presença portuguesa por terras de Castela e Aragão, p. 6
 
Nuno SALDANHA
Nicolas-Louis Albert Delerive, 1755-1818. A ascensão da pintura de género na génese do Proto-Romantismo, p. 18
 
Celso MANGUCCI
Um esquecimento premeditado. Cirilo Volkmar Machado e a historiografia da azulejaria portuguesa, p. 28
 
Maria João CASTRO
O viajante romântico e o apelo da ruína, p. 34
 
Mariana Schedel António Nunes PEREIRA
D. Fernando II e o Palácio da Pena. Olhar oitocentista sobre a época manuelina e os exotismos, p. 42

Marte FRADE
Domingos Meira e os estuques decorativos no Romantismo português, p. 50
 
Joaquim Rodrigues dos SANTOS \ Sofia BRAGA
As falsas ruínas do Romantismo em Portugal: evolução e contextos, p. 58
 
Marta SONIUS
Visualizar o passado, traçar o presente, idealizar o futuro. O Real Palácio da Pena como espaço performativo, p. 68
 
Ana Cristina Moscatel PEREIRA \ José Francisco Ferreira QUEIROZ
As vinhetas dos convites para funerais da coleção de Ernesto do Canto (1849-1897), p. 78
 
Maria Emília Vaz PACHECO
Silva Porto e a sua obra na coleção de José Relvas, p. 86
 
Gonçalo de Vasconcelos e SOUSA
Aspetos da Ourivesaria portuguesa na revista ?O Ocidente?, 1878-1915, p. 92
 
João Carvalho DIAS
Encadernações Românticas na coleção de Calouste Gulbenkian, 1892-1903, p. 118
 
 
CONVERSA COM
José-Augusto França
Por Vítor Serrão
Os Romantismos atemporais e o Romantismo Histórico, p. 110
 
 
VARIA
 
Mónica GONÇALVES
Alguns estudos inéditos para o túmulo de Manuel Fernandes Tomás, p.114
 
Rui Manuel Mesquita MENDES
Testamento inédito de Bento Coelho da Silveira, «insigne pintor desta corte de Lisboa», em 1706, p. 134
 
Helena Pinheiro de MELO \ Agnés le GAC \ Maria Gabriela CORDEIRO
Duas pinturas assinadas por André Gonçalves, 1685-1762. Uma nova oportunidade para olhar a sua obra, p.136
 
Miguel PORTELA
A azulejaria em Portugal nos séculos XVII e XVIII: Manuel Clemente, Mestre Ladrilhador, p. 124
 
Vítor Serrão 
Recensão crítica ao livro "Estudos de Iconografia Cristã", p. 126

 

Voltar