Imprimir
Noticias

ABERTURA DE CONCURSO ESTÍMULO AO EMPREGO CIENTÍFICO INDIVIDUAL - 5.ª EDIÇÃO

De 3 de Fevereiro a 3 de Março de 2022

 

ABERTURA DE CONCURSO ESTÍMULO AO EMPREGO CIENTÍFICO INDIVIDUAL - 5.ª EDIÇÃO

Informamos que foi publicado o Aviso para Apresentação de Candidaturas ao Concurso Estímulo ao Emprego Científico Individual - 5ª Edição (CEEC Individual).
 
As candidaturas devem ser apresentadas em língua inglesa, a partir do dia 3 de Fevereiro de 2022 e até às 17 horas (hora de Lisboa) do dia 3 de Março de 2022, através de uma plataforma myFCT, a disponibilizar oportunamente.
 
Submissão de pré-candidatura com o ARTIS até 25 de Janeiro de 2022, através do formulário que pode aceder AQUI
 
O período para a associação das instituições de acolhimento a cada candidatura individual é de 4 de março de 2022 até às 17:00 (hora de Lisboa) de 29 de março de 2022.

O CEECInd, 5ª edição, prevê financiar 400 contratos, com duração máxima de 6 anos, para investigadores doutorados, em todas as áreas científicas, que pretendam desenvolver a sua actividade de investigação científica ou de desenvolvimento tecnológico em Portugal, nas instituições que integram o Sistema Nacional de Ciência e Tecnologia (cf. notícia aqui).  
 

Os contratos serão atribuídos em função de quatro categorias:

- Investigador júnior (nível 33 da tabela remuneratória única): doutorados há 5 anos ou menos, com experiência de investigação pós-doutoral reduzida na área científica a que se candidatam.
- Investigador auxiliar (1º escalão da categoria de investigador auxiliar da carreira de investigação científica em regime de dedicação exclusiva ou de tempo integral): doutorados há mais de 5 anos e menos de 12 anos, com currículo relevante na área científica a que se candidatam e com independência científica limitada.
- Investigador principal (1º escalão da categoria de investigador principal da carreira de investigação científica em regime de dedicação exclusiva ou de tempo integral): doutorados há mais de 12 anos, com currículo relevante na área científica a que se candidatam, demonstrando alguma independência científica nos últimos 3 anos.
- Investigador coordenador (1º escalão da categoria de investigador coordenador da carreira de investigação científica em regime de dedicação exclusiva ou de tempo integral): doutorados detentores do título de habilitação ou de agregação em Portugal, com currículo de mérito elevado na área científica a que se candidatam, demonstrando independência científica e com evidência de liderança nessa área científica.
 
A avaliação das candidaturas será feita com base nos critérios abaixo indicados:
 
A. Mérito do candidato (60%), do ponto de vista científico, tecnológico, cultural ou artístico, aferido pelo seu percurso científico e currículo, nomeadamente (i) produção científica, tecnológica, cultural ou artística; (ii) actividades de investigação aplicada; (iii) experiência internacional; (iv) ações para a obtenção de financiamento; (v) experiência de ensino e supervisão científica; (vi) actividades de gestão de programas e projetos de ciência, tecnologia e inovação; e (vii) actividades de extensão e de disseminação do conhecimento.
B. Mérito do plano de investigação (40%), tendo em consideração as questões científicas e objetivos apresentados, o estado-da-arte e racional, a adequação e exequibilidade em função das tarefas descritas e do planeamento temporal, os resultados a alcançar e dos recursos disponíveis para a sua execução, o grau de inovação, da avaliação de riscos e respetivo plano de contingência. Será ainda aferida a qualidade das condições de acolhimento, bem como a adequação do plano à estratégia de investigação da instituição de acolhimento.
As candidaturas são avaliadas numa escala de um a dez valores em cada um dos dois critérios, sendo que os candidatos que obtenham uma classificação final inferior a 5,00 ficam impedidos de concorrer na próxima edição do concurso.
 
Mais informações aqui

 

Voltar