Imprimir
Eventos

VII COLÓQUIO COLEÇÕES DE ARTE EM PORTUGAL E NO BRASIL NOS SÉCULOS XIX E XX COLEÇÕES REAIS E COLEÇÕES OFICIAIS

VII COLÓQUIO COLEÇÕES DE ARTE EM PORTUGAL E NO BRASIL NOS SÉCULOS XIX E XX COLEÇÕES REAIS E COLEÇÕES OFICIAIS
21-24 de Outubro de 2020 | Palácio Nacional da Ajuda

 
O ARTIS - Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, em parceria com o Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro e o Palácio Nacional da Ajuda-DGPC, organizam o VII Colóquio «Coleções de Arte em Portugal e no Brasil nos séculos XIX e XX» sob o tema «Coleções Reais e Coleções Oficiais», que se realiza nos dias 21 a 24 de outubro de 2020, no Palácio Nacional da Ajuda, em Lisboa.  
Site oficial: https://colecoesdearte2020.weebly.com/

Muitos artistas aspiravam em ter como encomendadores ou mecenas os membros das Casas Reais. Exemplos de um gosto refinado, as suas escolhas e opções serviam de referência a nobres e burgueses endinheirados, incrementando o negócio da produção artística. À medida que as oficinas artesanais se transformam em modernas firmas comerciais de uma variedade requintada de artes visuais e decorativas, ter o privilégio de servir uma Casa Real e alcançar o estatuto de 'fornecedor oficial' tornou-se uma posição desejada. Segundo os preceitos do mercado, são elaborados atrativos catálogos, com cuidadas descrições e integrado gradualmente o poder sugestivo da imagem. Diversos agentes são envolvidos no processo de aquisição, em particular quando este se desenrola no estrangeiro, tendo as Casa Reais e Oficiais, nos respetivos diplomatas, intermediários diligentes e eficazes. Quando as aquisições se processam no mercado das antiguidades, os mecanismos são semelhantes e as escolhas feitas constituem tendências a seguir.
 
A prática das coleções reais acaba por servir de modelo para coleções governamentais (presidenciais, regionais e municipais), as quais, diante de outras temporalidades, adotam perfis particulares. Do mesmo modo, os presentes entre chefes de Estado também geram coleções oficiais, permitindo a continuidade de oportunidades para outras gerações de artistas, designers, marchands, galerias e oficinas.
 
A memória dos perfis das coleções reais é garantida nos museus nacionais e em alguns palácios que foram musealizados, servindo de referência a muitos outros colecionadores e desencadeando um compartilhamento com o público de determinados gostos e tipologias artísticas, questão que permanece semelhante nas coleções oficiais de Estado. Muitas obras e objetos pertencentes a essas coleções estão hoje disponíveis em museus sem, contudo, serem identificadas, dificultando perceber suas particularidades e estratégias de aquisição e incorporação.
 
O VII Colóquio de Arte em portugal e no Brasil nos séculos XIX e XX ao ter como tema as Coleções Reais e Oficiais pretende abordar todo este elaborado processo de mercado, os fenómenos de gosto, tendência e influência criados. Serão também contemplados, como parte integrante de reflexão e  estudo, os seguintes aspetos:
  • Coleções das Casas Reais/Oficiais e coleções pessoais e institucionais dos monarcas, chefes de Estado e outros estadistas;
  • O fim das monarquias e os destinos das coleções reais - dispersões e acomodações;
  • Formação e desenvolvimento de coleções de Estado - perfis e incorporações públicas; 
  • Coleções oficias em embaixadas e consulados;
  • Musealização de coleções reais e oficiais;
  • Os modelos reais e oficias de colecionismo e suas reverberações em coleções particulares. 
 
Chamada de Comunicações
 
Envio de Resumos | até 20 de abril de 2020
 
Atenção: face à atual situação pandémica o prazo para a receção de resumos foi alargado até ao próximo dia 20 de abril.
 
São aceites comunicações sobre o tema apresentado e matérias correlacionadas. Os interessados deverão enviar um resumo com o máximo de 300 palavras, incluindo o título, acompanhado de uma breve nota curricular (máximo uma página A4) para artis@letras.ulisboa.pt
 
Os resumos serão analisados e a sua aceitação para apresentação de comunicação será notificada aos autores.
 
Os textos das comunicações não deverão exceder 8 páginas e 6 imagens, seguindo o formato do template disponível em: https://colecoesdearte2020.weebly.com/chamada-de-comunicaccedilotildees.html
 
As comunicações finais serão submetidas a revisão pela comissão científica. Todas as comunicações aceites serão publicadas sob a forma de um livro de atas.

 

Organização
 
ARTIS - Instituto de História
O ARTIS - Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa (ARTIS-IHA) é uma unidade de I&D financiada pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (UID/EAT/04189/2013), consagrada à investigação e à formação em história da arte e ciências do património.
 
Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro
O PPGAV tem por objetivo a formação de investigadores, docentes e profissionais altamente qualificados na área de artes visuais. Visa também promover a reflexão crítica, teórica e metodológica sobre o campo da teoria e do fazer artístico, fomentar a produção científica, artística e sua divulgação, incentivar práticas de cooperação e intercâmbio académico no ensino e na investigação.
 
Palácio Nacional da Ajuda
O Palácio Nacional da Ajuda, monumento nacional desde 1910, não é apenas a antiga habitação real e museu de artes decorativas, é também a sede de outras instituições portuguesas ligadas à cultura e palco de cerimónias protocolares. A sua gestão está a cargo da DGPC e da Presidência da República.
 
Comissão Organizadora
Maria João Neto (ARTIS-IHA, FLUL)
Marize Malta (Programa de Pós-graduação em Artes Visuais, Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro)
José Alberto Ribeiro (Palácio Nacional da Ajuda/DGPC)
 
Comissão Científica
Clara Moura Soares (ARTIS-IHA, FLUL)
Gonçalo de Vasconcelos e Sousa (EA-UCP)
Maurício Ferreira Júnior (MIP)
Paulo Knauss (UFF)
Raquel Henriques da Silva (IHA-FCSH/NOVA)
Sonia Gomes Pereira (Escola de Belas Artes - UFRJ)
Teresa Vale  (ARTIS-IHA, FLUL)
Vítor Serrão (ARTIS-IHA, FLUL)
 
Comissão Executiva
Lúcia Marinho (ARTIS-IHA, FLUL)
 
 
Calendário
 
Submissão de resumos: 20 de abril
 
Notificação de aceitação: 20 de abril
 
Submissão de artigos: 20 de julho
 
Notificação de aceitação ou pedido de reformulação: 30 de julho
 
Submissão de artigos finais: 31 de agosto
 
Publicação de atas: 21 de outubro
 
 
Inscrições
 

 

Voltar

Lista de Eventos